Veja quais são os carros mais usados em filmes antigos e séries Brasileiras

Podemos considerar que o brasileiro é um tanto quanto conservador. E quando se trata de bens que reforçam a nostalgia e sentimentos pregressos, o consumidor não parece hesitar em promover aquisições do gênero. Através da compra de carros antigos, milhares de cidadãos preservam os trejeitos automotivos do século passado e escancaram a preferência por muitos carros que, aliados a um preço viável, intensificam o crescimento dessa demanda.

No entanto, é válido ressaltar que, em relação à oferta automotiva do século passado, poucos eram comtemplados com a chance de realizar tamanho investimento. Reflexo de uma época cuja disparidade entre as classes sociais era muito mais acentuada, a demanda que destinava recursos para essa finalidade se restringia aos integrantes das classes A e B, uma vez que aqueles menos favorecidos economicamente não exploravam financiamentos, fato que ocorre hoje em dia.

Muitos daqueles que gostariam, mas, infelizmente, não reuniam as credenciais para a aquisição desse patrimônio na época, carregaram consigo esse sentimento e, hoje, encarregam-se das movimentações no ramo de usados, especialmente se tratando de modelos clássicos. Se você quer prosseguir com a leitura e seguir se inteirando a respeito de como os carros épicos passaram a ser tão cultuados, atente-se à continuação do artigo.

A tecnologia favorecendo a procura pelos modelos clássicos

À medida que os veículos amparados por ampla tecnologia e cultivados por meio de novas tendências inovadoras começaram a protagonizar os negócios da atualidade, os carros épicos temeram pelo ostracismo e lidaram com a possibilidade do esquecimento. Porém, os desenvolvedores de carros antigos não contavam com a fidelidade singular de uma demanda, que, atualmente, tem se expandido cada vez mais, representando os amantes de carros históricos.

E essa tendência é ratificada através de um índice que relaciona os 10 veículos mais procurados do Mercado Livre, uma conhecida plataforma de anúncios. Dentre os quais, podemos citar o Opala, o Fusca, o Maverick, o Chevette e a Kombi, automóveis que marcaram épocas e, até os dias atuais, seguem presentes na cultura do brasileiro. A título de curiosidade, o preço que compreende esses veículos supera a casa dos R$15 mil apenas com o Opala, enquanto o tradicional Fusca tem sido ofertado por R$9.646,29.

Embora as facilidades oferecidas ao cidadão no tocante aos meios para a aquisição desse patrimônio impulsionem as vendas na atualidade, dando origem ao expressivo índice de um veículo para cada quatro habitantes brasileiros, ainda sim os modelos que atingem os números mais relevantes de vendas ao longo da história são os antigos, retratando veículos à frente do seu tempo.

Volkswagen Gol e sua dominância no país

Como não deve ser novidade para ninguém, o carro mais vendido de todos os tempos no Brasil é o Volkswagen Gol, cujo legado passou por gerações e, somente em 2014, perdeu a liderança anual de unidades comercializadas, cenário que se perdurou por 26 anos. Denominado ora como “Gol Quadrado”, ora como “Gol Bolinha”, vale a menção ao carro mais carismático do país.

Fiat Uno: Um automóvel muito cultuado

O Fiat Uno, por sua vez, surpreende na lista e aparece na segunda colocação dentre os mais vendidos da história, sendo talvez o principal sinônimo de um carro popular e que, inclusive nessa década, não deixa de se apresentar números expressivos de emplacamentos, alavancado pelo seu novo modelo totalmente reformulado.

Créditos da imagem: Pexels

Fusca: O carro que ganhou data comemorativa

Somente em terceiro lugar, o Volkswagen Fusca estima pouco mais de 3 milhões emplacamentos na história brasileira, trazendo à tona o protótipo de um veículo mais que cultuado em nosso país, que, inclusive, o rendeu uma data comemorativa, celebrando o dia 20 de janeiro como o Dia Nacional do Fusca.

E, claro, não podemos esquecer das icônicas Kombis

Neste sentido, não podemos esquecer a precursora das vans em nosso país. Apesar das Kombis à venda ainda fazerem-se presentes, vale salientar que o automóvel deixou de ser fabricado em 2013, encerrando o período ininterrupto de 57 anos cujas unidades eram produzidas.

Fato é que, embora não existam registros relacionados ao número Kombis comercializadas no Brasil, em 2011 a Volkswagen atingiu a impressionante façanha da 1.500.000ª Kombis produzida no país, que influenciou o gosto do entusiasta por veículos e ocupa um lugar mais que especial dentre os mais tradicionais modelos do mercado nacional.

Gostou deste artigo sobre Por dentro dos melhores carros antigos? Não perca tempo e compartilhe-o em suas redes sociais!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *