Socorro! Preciso parar com True Blood – parte II | Spoilers

Socorro! Preciso parar com True Blood – parte II

O artigo a seguir contém detalhes da trama das cinco primeiras temporadas de True Blood.

Previously on: parte I

tumblr_lxawonYJ681qcs3sko1_250

3º núcleo – Bruxos, demônios, medium, fantasmas e afins (exceto zumbis)

São o núcleo apêndice. Se algum personagem novo se enquadra nesta categorias, pode ter certeza que está começando um plot provavelmente sem saída, ou que só vai se explicar muito tempo depois.

Exemplos:

A Mênade Maryanne: Desde o momento que a mênade invade Bon Temps e transforma a cidade em uma grande orgia, a série se mostrou capaz de criar e arrastar tramas paralelas sem a menor necessidade. A mênade fez estrago só para virar um pretexto para entendermos uma trama que envolvia Eric, a Rainha e o Estado, bem como o golpe que o Bill planejava com a Autoridade o tempo todo?

Além disso a passagem da mênade nos garantiu episódios de sofrimento da Tara, que perde o namorado como consequência tardia do causo, o que a faz se envolver com um vampiro carente, o Frank, que a sequestra e a leva para dentro da casa do vampiro Russell que estava sendo vítima dos planos de Bill e Eric, cada um com sua própría agenda. Aff que volta.

E na temporada seguinte arranjaram um namorado pro Lafaytte que descobrimos que era médium, pra daí colocá-lo num grupo de wicca, pra assim nos apresentar a bruxa-líder que viria a incorporar uma necromante que manja de como aniquilar vampiros para aí os vampiros se incomodarem e terem que lutar por suas vidas.

Ainda como consequência, o tal no namorado do Lafayette, que era um brujo, morre assassinado pelo espírito dessa bruxa-lider-wicca que estava incorporado no Lafayette e tem seu cadáver sequestrado pelo seu tio-avô mago da magia negra mexicana e La La vai resgatá-lo e de quebra ganha o super poder de incorporar o demônio tex-mex de seu finado companheiro que até agora não se mostrou útil para trama. Sacaram as voltas?

4º núcleo – Os metaformos e lobisomens

Quando incluíram os lobisomens na série achei que eles estavam atendendo a um clichê comum das histórias com vampiros. Clichê este que sempre me incomodou, porque, com uma boa leitora de Anne Rice, acho essa história de guerra entre lobisomens e vampiros totalmente desnecessária.

Mas, enfim, os lobisomens se justificaram dentro da trama construída com o vampiro Russell, que rapidamente se conectou com o desejo de vingança do Eric. Só que Russell se foi e eles ainda estão aí! Hora drogados, hora pelados e brigando com metaformos. Ficamos com Alcide, ex- guarda-costa da Sookie, atual lider do bando de lobisomens da região, que está totalmente sem função na série a não ser brigar com Sam, o dono do bar e metaformo que está sem função na série desde a segunda temporada. Tudo por conta de uma criança meio metamorfo meio lobisomem. Não está nada claro onde isso vai nos levar.

A pergunta é: porque dispersar mais um esforço se a trama dos vampiros poderia ser melhorada?

(Me recuso a comentar o núcleo das panteras traficantes porque….né?)

ku-medium

5º núcleo – As Fadas

Se os esforços dispersos parassem nos lobisomens e metaformos estava ótimo, mas os roteiristas decidiram justificar a Sookie! Ela é uma fada. Meio-fada. E por isso vampiros a querem porque eles podem sair ao sol após beber o sangue dela. Os episódios passam e descobrimos que fadas não são fofas, vivem se escondendo dos vampiros, procriam com humanos e que agora 80% desse núcleo está morto.

Nesta nova temporada as fadas estão trazendo um novo vampiro, mais velho e mais poderoso e que pode mudar muito a dinâmica dos vampiros atuais (ou não). Graças ao Bill, finalmente as fadas (mais especificamente as filhas meio-fadas do Xerife) terão um propósito real para a trama: o sangue delas pode virar um Tru Blood turbo.

ku-medium (1)

6º núcleo – Drogas

Além do constante uso de drogas reais como maconha e pain killers, True Blood trouxe o V, que é basicamente uma releitura do MDMA, para girar a economia ilegal da região. Em vários momentos vemos os personagens loucos de alguma coisa. A série não condena nem incentiva, apenas coloca as drogas como elemento rotineiro na vida dos personagens.

Agora, como a série sempre estica seus plot muito além do necessário, temos que aguentar algumas viagens além da conta como Jason viciado em V e Laffaytte e Jesus loucos fazendo um tour pelo mundo da magia negra.

A única viagem que pareceu ter propósito até o momento foi quando o núcleo vampiresco tomou o sangue de Lillith e foi dar uma volta em New Orleans. Todo mundo ali teve uma iluminação, principalmente Bill e Eric, definindo os rumos da série para a próxima temporada.

The courage to change the things I can

Porque eu preciso parar de ver True Blood?

A questão é que True Blood tem um ritmo decompassado, se arrasta demais em todos os assuntos, cria tramas apêndices sem propósito e o pior de tudo: mistura os núcleos e prolongam personagens desnecessários como Tara vampira, vampiros religiosos, religiosos vampiros… etc.

Simplesmente não dá para continuar com uma série que ressuscita uma personagem como a Tara! E depois transforma Bill em um Semi-Deus! Pega o pastor lider da seita anti-vampiro e o transforma num vampiro que é preso e vai ser torturado num campo de concentração comandado pela sua ex-mulher! É surreal. Eles foram capazes de criar as estruturas que elenquei anteriormente, mas quando elas não os satisfazem, eles migram os personagens de núcleo!

Tudo para no fim mostrar que True Blood é uma série sobre tolerância, que testa seus preconceitos não só na história, mas também na sua capacidade de aceitar a mobilidade “social” dos personagens entre a estrutura. Um humano, por mil razões, pode ser algo a mais, merecendo ou não. E você continuar fiel à série é uma prova de sua tolerância. Eles riem de nós. Certeza.

And wisdom to know the difference

A sexta temporada parece que está tentando acertar na bagunça criada anteriormente simplesmente porque eles criaram outra confusão: Ben/Warlow é um vampiro-fada que quer transformar Soookie em uma vampira-fada para eles nunca mais precisarem se alimentar de humanos.  Bill é um vampiro-Deus: “Billtith”, que é o criador do vampiro-fada. Sacou o rolou? Todos os outros vampiros estão sendo vítimas de um holocausto, com direito a campo de concentração e tudo mais.

Porém True Blood não é uma série para se confiar. O foco da temporada está nos núcleos vampiros, humanos caipiras e fadas (sendo este representado apenas por Sookie, porque o resto morreu). Aliás, Sookie por um acaso é a protagonista da série mesmo sem fazer diferença alguma nesta salada toda. E isso é outra premissa que você também não pode mudar. (A não ser que algo realmente aconteça após o affair Ben/Warlow-Sookie que rolou no fim do último episódio.)

Boa sorte para nós nesta temporada!

[Crédito das imagens: Reprodução/HBO]