Girls voltou com muitas despedidas e partidas | Spoilers

Girls voltou com muitas despedidas e partidas

Este post contém detalhes do primeiro episódio da quarta temporada de Girls.

Girls 2

A primeira cena da nova temporada de Girls é uma conversa entre Hannah e os seus pais em um restaurante, onde eles estão fazendo um brinde à sua filha por ter passado num curso de escrita criativa que vai obrigá-la a se mudar de Nova York para Iowa. Esse momento é uma espécie de eco da primeira cena da série, em que Hannah também estava num restaurante com seus pais apenas para descobrir que eles estavam cortando a ajuda financeira e a jogando no mundo. Não é feita uma comparação muito grande entre os dois momentos, mas quem acompanha Hannah desde 2012, quando ela entrou nas nossas vidas armada com todo o tipo de neuroses, atitudes e divagações narcisistas que são um turn off para muita gente, provavelmente percebeu que uma jornada atribulada aconteceu nesse meio tempo. Hannah fez o possível para sobreviver por conta própria – ela conseguiu, afinal de contas, até escrever um livro! (ok, ele ficou preso para sempre num purgatório editorial, mas ela se mexeu)

A tagline do poster dessa quarta temporada diz que “there’s nowhere to grow but up” e, sem querer levar uma frase criada para efeitos mercadológicos muito ao pé da letra, isso é provavelmente um bom indicativo dos temas que serão abordados: as garotas estão crescendo e fazendo progresso. Hannah pode estar em vias de se mudar para Iowa, mas as relações que ela tem com todo mundo na sua vida ainda alternam entre o tóxico e o passivo-agressivo (como no caso de Marnie). Hannah ainda é narcisista e continua totalmente absorta nos próprios sentimentos, mas todo mundo em volta dela está na mesma, de Jessa a Shoshanna e também Adam. Parece que não houve nenhum progresso desde a última vez que encontramos esses personagens, o que envolveu brigas acaloradas numa cabana de praia e também momentos como Marnie se escondendo nos arbustos enquanto espiava seu amante músico e Shoshanna implorando a Ray para voltar com ela porque os seus “planos de vida” saíram dos trilhos. Entretanto, Jessa começou na clínica de reabilitação e bom, digamos apenas que a experiência não deu muito certo para ela. No final da temporada passada ela encontrou uma espécie de mentora em Bedelia, uma artista.

Girls 3

Hannah, por sua vez, conseguiu um emprego na GQ, apesar dela não ter realmente trabalhado na revista e sim no departamento comercial da redação, mexendo com os anunciantes. Apesar de finalmente estar recebendo um salário fixo que a permitiu fazer compras ao som de Lily Allen, isso acabou rendendo um meltdown tão intenso que até mesmo eu, que sempre a defendi mesmo em situações difíceis, fiquei de queixo no chão. Hannah conseguiu a proeza de me alienar na temporada passada e, sendo bem sincero, eu achei que depois do incidente do cotonete na segunda temporada eu estava preparado para tudo com relação a ela.

Nessa volta, Marnie ainda está tentando fazer a sua carreira musical acontecer, e já nesse episódio ela tem um esgotamento nervoso por conta de crianças barulhentas. Ela também tem uma breve cena de sexo que muitos sites consideraram “chocante” (spoiler: não é). Elijah, o amigo gay de Hannah, acaba por oferecer alguns conselhos, mas Marnie teme que a espiral de humilhações que ela sofreu na temporada passada continue. Ela e Hannah ainda estão com a relação meio tremida, como sempre, mas esse atrito ainda rende pequenos momentos como esse abaixo que são bonitos por serem também tão sinceros:

girls

Hannah abraça Marnie antes de partir e logo depois elas se soltam (a câmera corta para um plano mais afastado). Elas se gostam mas também parece que estão sempre prestes a começar uma discussão. Essa tensão latente na relação entre as duas é necessária para ambas, mas nenhuma admitiria isso em voz alta. Apesar de tudo, naquele momento, elas realmente vão sentir falta uma da outra.

Em Girls, os momentos em que os personagens mostram afeto genuíno uns pelos outros são recompensas que não são conquistadas facilmente. Por tudo o que se diz e escreve dos piores lados dos personagens, existem facetas em todos eles em que a sua humanidade espreita, e a série sempre mostra nesses momentos que, acima de qualquer outra coisa, ela quer ver essas pessoas se acertando. Além de Hannah e Marnie, nesse episódio também vimos Jessa se despedindo de Bedelia, sua chefe, numa cena tão bem escrita e cheia de afeto entre ambas que deu pena de não ver mais das duas interagindo. Da última vez que as vimos, no final da temporada passada, Jessa estava ajudando Bedelia a se suicidar, mas, óbvio, isso não deu certo.

Esse episódio envolveu algumas despedidas (Adam também, embora ele tenha fingido que estava dormindo), e apesar da partida de Hannah ser um tipo de desenvolvimento que geralmente pertenceria mais a um final de temporada, Girls está usando a situação como ponto de partida. Ainda não sabemos se ela vai realmente ficar longe das amigas por toda a duração dessa nova história mas, pelo plano final no carro dos pais, deu-se a entender que Hannah começou a perceber que as suas escolhas finalmente a estão levando a esse tal de crescimento em direção à vida adulta.

[Crédito das imagens: Reprodução e Divulgação/HBO]